TIM registra lucro estável no trimestre em meio a cenário macroeconômico adverso



TIM registra lucro estável no trimestre em meio a cenário macroeconômico adverso e ao impacto da redução da VU-M

 Motorola DEFY

 

  • Operadora conquista primeira posição no mercado pré-pago, com base de 58,9 milhões de usuários e crescimento de 24% ano a ano, além da liderança na cidade de São Paulo;
  • Base total ultrapassa 68,9 milhões de clientes, alta de 24% ano a ano;
  • Receita bruta sobe 10,2 % no período na comparação anual, atingindo R$ 6,8 bilhões;
  • Receita bruta de dados cresce 40,3% ano a ano e ultrapassa a marca de R$ 1 bilhão, alavancada pelo aumento da penetração de smartphones na base, que já alcança 35,2%, contra apenas 15,4% no segundo trimestre de 2011;
  • Investimento (CAPEX) soma R$ 1 bilhão, sendo 96% em infraestrutura. Crescimento de 46% (ano a ano);
  • Inadimplência (provisão para devedores duvidosos) ficou em R$ 62 milhões. Queda de 6,4% ano a ano, representando 0,92% da receita bruta e um dos menores patamares;
  • Lucro líquido atinge R$ 346,8 milhões, com variação de -0,9%, em comparação ao mesmo período de 2011;
  • Antecipação do lançamento comercial da TIM Fiber confirmado para primeiros dias de agosto.

 

tim_brasil_lucroRio de Janeiro, 31 de julho de 2012 – Apesar da desaceleração macroeconômica, representada por um maior endividamento da população no primeiro semestre, do cenário competitivo no mercado de telecomunicações e de um impacto negativo vindo da redução da tarifa VU-M (taxa de interconexão), a TIM segue com resultados consistentes em diversos indicadores financeiros e operacionais. A operadora confirma a liderança nacional no mercado pré-pago, que atingiu 58,9 milhões de usuários, crescimento de 24% (ano a ano).

Além disso, a empresa conquistou a primeira posição na cidade de São Paulo, principal mercado do País, confirmando a consolidação de um modelo de negócios criado a partir da simplificação das ofertas para os segmentos de voz e dados, capaz de fomentar um crescimento sustentável.

O crescimento da receita foi alavancado pela internet móvel e pelo aumento da penetração dos smartphones. Em contrapartida, foi impactado negativamente pela redução da taxa de interconexão (VU-M). A receita bruta cresceu 10,2%, totalizando R$ 6,8 bilhões no período (a receita líquida atingiu R$ 4,5 bilhões, alta de 7%). A penetração de smartphones e tablets na base de usuários em um ano passou de 15,4% para 35,2%, alavancando a receita de dados que cresceu 40,3%, em relação a 2011.

O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 1,21 bilhão no trimestre, alta de 6% ano a ano. Vale destacar que houve impacto negativo da tarifa VU-M neste indicador. Desconsiderando esse efeito, o EBITDA teria crescido 10,2%.

O lucro líquido da companhia atingiu R$ 346,8 milhões no período, com variação de -0,9% ano a ano. Os investimentos em rede seguem crescentes para suportar o aumento da base e de tráfego de voz e dados. No trimestre, a TIM investiu mais de R$ 1 bilhão, valor 46% acima do montante investido no mesmo período do ano passado, sendo que 96% desse total em infraestrutura, antecipando assim o CAPEX do ano.

“Vamos investir R$ 9,5 bilhões até 2014 e seguimos focados em aprimorar a prestação dos nossos serviços. No momento, nossa prioridade é adequar o plano de ações de curto, médio e longo prazo apresentado na última semana para a Anatel para que tenhamos nossas atividades normalizadas o quanto antes. Com o Governo, trabalhamos no aprimoramento técnico do setor para garantir níveis cada vez melhores de qualidade e desempenho dos serviços. Continuaremos inovando, trazendo ofertas diferenciadas e oferecendo alternativas para sermos a melhor opção do mercado. No segundo semestre o cenário será melhor”, diz Andrea Mangoni, presidente da TIM Celular.

 

Evolução dos principais indicadores

evolucao_tim

Ampliação da cobertura

No segundo trimestre, a cobertura 3G da TIM chegou a mais 43 cidades, totalizando 555 em todo o País. Com isso, a operadora avança no desafio de passar, até o fim de 2013, para uma cobertura de mais de 80% da população urbana do Brasil. A solução de aprimorar a rede dados com acesso automático também no Wi-Fi ampliou a cobertura nos aeroportos. Hoje, a companhia oferece o serviço nos 12 principais aeroportos dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Ceará e Distrito Federal. Até o fim do ano, a TIM será a única operadora presente nos 55 aeroportos brasileiros.

“Depois da Rocinha, a conexão wireless chegou ao Parque Madureira, inaugurado em junho, na Zona Norte do Rio de Janeiro. No início deste mês, anunciamos o projeto de cobertura Wi-Fi no estádio de São Januário, fruto do patrocínio da operadora com o time carioca Vasco da Gama. A TIM também planeja expandir a iniciativa em outras áreas onde há grande concentração populacional e de tráfego 3G, como outras comunidades, hotéis, restaurantes e universidades”, diz Mangoni. “Seguimos com a estratégia de instalar 10 mil hotspots até o fim de 2012 como forma de complementar e potencializar a capacidade da nossa rede”.

Base de clientes e novidades em ofertas

A TIM encerrou o período com 68,9 milhões de usuários, alta de 24% na comparação anual, resultando a aquisição de 1,7 milhão de novos usuários no trimestre. Desta forma, a participação de mercado alcançou 26,9%, incremento de 1,3 ponto percentual se comparado ao mesmo trimestre de 2011. Com isso, a empresa demonstrou evolução significativa do negócio nos últimos trimestres e a capacidade de atrair novos clientes.

A base pré-paga manteve aceleração no trimestre: 58,9 milhões de clientes, expansão de 23,9% ano a ano, com destaque para o plano Infinity Pré, que atingiu 57,5 milhões de usuários, o equivalente a 98% da base deste segmento. No pós-pago, a TIM conquistou 348 mil clientes no período, encerrando o trimestre com 10 milhões de usuários, alta de 24,7% na comparação anual.

A operadora manteve o foco nas plataformas Infinity e Liberty (respectivamente para os serviços pré e pós-pago) visando acelerar a substituição do fixo pelo móvel ao mesmo tempo em que estimula o conceito de comunidade. Para o segmento pós-pago, lançou Liberty Controle que combina a liberdade e a conveniência de um plano pós-pago com o controle dos gastos de um usuário pré-pago. Essa oferta resultou na reformulação da plataforma Liberty e o plano de entrada tornou-se o Liberty +50, que além de oferecer chamadas locais e de longa distância ilimitadas (usando o código 41) para qualquer número da TIM em todo o País, conta com mais 50 minutos para chamadas fora da rede da operadora.

 

Nova estratégia para oferta de dados pós-paga

Para os serviços de dados, a TIM renovou suas ofertas pós-pagas com navegação ilimitada, a fim de encorajar o tráfego de dados móveis para diferentes perfis de uso. O novo Liberty Web Modem foi projetado para os usuários que permanecem conectados por longos períodos de tempo, fornecendo velocidade de 3GB por R$ 69,90 ao mês, incluindo modem desbloqueado e sem cláusula de fidelidade. Para clientes que precisam mais velocidades, a operadora lançou o Liberty Web Modem Plus com velocidade de 10GB com mensalidade de R$ 101.

 

Esforço conjunto no segmento corporativo

No segmento corporativo, a TIM e a Intelig uniram experiências em serviços móveis e soluções empresariais para telefonia fixa e criaram o conceito TIM Intelligence, voltado ao desenvolvimento de ferramentas completas como infraestrutura de telefonia, mobilidade, aplicativos, serviços em nuvem, videoconferências e redes Wi-Fi. O objetivo é garantir mais segurança e eficiência para as empresas.

 

TIM Fiber: antecipação do lançamento

Depois de lançar o piloto da oferta da ultra banda larga residencial em São Paulo, a TIM dará início à operação comercial da TIM Fiber já nos primeiros dias de agosto, antecipando o calendário original, de setembro. A conexão da rede de fibra óptica da operadora a prédios de São Paulo e Rio de Janeiro segue em ritmo acelerado. Há mais de 2 mil prédios conectados, de um total de 5.700 autorizados em ambos os municípios. Os primeiros testes em campo demonstram resultados promissores, confirmando a capacidade da banda larga da operadora de atingir velocidades reais entre 25 e 100 Mbps.

“Adicionalmente ao plano de lançamento da banda larga residencial, estamos integrando a rede móvel com a fibra da TIM Fiber. Em São Paulo e no Rio de Janeiro já conectamos aproximadamente 1.200 antenas móveis com fibra e estamos trocando equipamentos de acesso para uma velocidade máxima de 42 Mbps (HSPA+), e transmissão de cobre alugada de apenas 8 Mbps para fibra própria de 100 Mbps. Assim, estaremos prontos para o 4G”, ressalta Mangoni.

A TIM segue focada na adequação do Plano de Ação para Melhoria do Serviço Móvel consistente de ações de curto, médio e longo prazo, apresentado para Anatel na última semana, e confirma seu compromisso com o País, em uma perspectiva mais ampla, comprovado com a compra das licenças de 4G. Além disso, operadora reforça o apoio ao governo no desafio de ampliar a infraestrutura de telecomunicações com vistas aos eventos internacionais previstos, como Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas.

 

A íntegra das demonstrações financeiras da TIM Brasil referentes ao segundo trimestre de 2012 estão disponíveis no site: www.tim.com.br/ri.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Advertisement